G.R.I.O.T

Assim diz o velho provérbio africano:
Aquele que sabe e sabe que sabe, é um sábio, é importante seguí-lo.
Aquele que sabe e não sabe que sabe, é um dorminhoco, é preciso acordá-lo.
Aquele que não sabe e sabe que não sabe, é um buscador, é preciso guiá-lo.
Aquele que não sabe e não sabe que não sabe, é um perigo público, é preciso fugir dele.

REFRÃO:
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer.

1ª Estrofe:
Eu sou contador de estórias, músico, activista
Conselheiro da corte, genealogista
Moderador ou mediador da sociedade
Para a formação e educação da comunidade
Venho do maior Império feudal
O estado de Songhai da África Ocidental
Congrego almas à volta da fogueira
Desde o século XIII que sou mestre de primeira
Amadou Hampâté Bâ, Aimée Césairé, Sekou Touré
Elikia M'bokolo, Sotigui Kouyaté
Eu canto à medida do vosso entendimento
Enquanto o Kora suaviza os pensamentos
Sou guardião na aldeia A, B ou C
Mali, Burkina Faso, Senegal, Guiné
No Oeste do Egipto, na África do Norte
O agente mágico da narrativa chama-se GRIOT.

REFRÃO:
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer.

2ª Estrofe:
O que se aprende do Ocidente tem algum sentido
Mas por mais útil que seja nem sempre é benvindo
Canto aos homens a história dos seus ancestrais
Para que a vida lhes sirva de exemplo capaz
Eu não morro eu reincarno no baobá
Como um sortilégio a quem ofende os orixás
Camarões, Burkina Faso, Serra Leoa, Libéria
Togo, Níger, Gâmbia, Gana, Nigéria
Contar e ouvir estórias na minha opinião
São formas de manter a socialização
Joseph Ki-zerbo, Tierno Bokar, Leophold Senghor
Cheik Anta Diop, Mory Kanté, Youssou N'dour
Griot em francês, Djeli em bambara
Do antigo Sudão à imensidão do Saara
Sou testemunha do passado, adulto e maduro
Sou cantor do presente e mensageiro do futuro.

REFRÃO:
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer
G - guardião da revolução ideográfica
R - radical se o assunto for África
I - ilustrador
O - orador
T - transmissor fiel até morrer.

Os griots são de vital importância, eram poupados mesmo em situações em guerra, por causa da sua nobre função. Quando um griot morria, seu corpo era sepultado dentro de uma grande árvore para que as suas canções e estórias, assim como as folhas da árvore continuassem a germinar e a florir nas aldeias. Os jovens são o futuro das nações, e os mais velhos, o passaporte para que eles o alcançem. África com os seus incríveis contadores de estórias, é lógico os griots, nos ensina a preservar as tradições por meio desta integração entre gerações. Eu sou um griot e a minha acção é a das palavras.